5 dicas para atrair a atenção dos alunos em videoaulas
04/06/2021
Dicas para atrair a atenção dos alunos em videoaulas
Tempo estimado de leitura: 5 minutos

Confira dicas de dois experts em divertir enquanto ensinam: o Iberê Thenório e a Mari Fulfaro do Manual do Mundo.

“Trocar o pneu com o carro em movimento.” Esta talvez seja a metáfora mais usada para explicar o desafio enfrentado pelos professores nesta pandemia da Covid-19. A explicação para isso é simples: a grande maioria está sendo obrigada a readaptar seus recursos usados em sala de aula, para uma realidade em que o único contato possível é através da internet. Contudo, manter a atenção dos alunos em videoaulas, webconferências e lives é, provavelmente, a parte mais difícil.

Pensando nisso, elaboramos este post com dicas para tornar esta tarefa mais simples. Todas as orientações a seguir foram baseadas na live feita pelo Iberê Thenório e pela Mari Fulfaro do Manual do Mundo, no YouTube da Conquista. 

Você pode conferir a aplicação de todas estas dicas em um exemplo de videoaula para professores neste vídeo abaixo: 

5 dicas para atrair a atenção dos alunos em videoaulas

1 – Materialize o que está falando

A materialização de exemplos é um recurso clássico dos professores em sala de aula e no vídeo não é diferente. Afinal, mostrar um objeto que ilustra o que está falando torna o conteúdo mais palpável. Desta forma, o deslumbramento causado pela explicação acaba retendo a atenção do aluno. 

É claro que o isolamento dificulta o uso deste artifício, mas, na medida do possível, tente sempre ter algo na mão, ou realize algum experimento, que materialize sua videoaula.

E, se tiver condições, não deixe de usar a boa e velha lousa ou o power point. A opção no caso dos slides é capturar a tela, nas aulas remotas gravadas, ou compartilhá-la nas lives e webconferências. Mas se optar pela lousa, tente deixá-la pronta antes da aula, pois diferentemente do que ocorre na classe, não é indicado ficar de costas para a câmera. Caso você tenha alguma dificuldade em explorar estas possibilidades, a saída é disponibilizar links com os materiais de apoio na descrição dos vídeos. Assim, enquanto você aprende a dominar as ferramentas, não precisa abrir mão de referências importantes.

2 – Fale com o seu corpo e aja naturalmente

Assim como na classe, é muito difícil ter a atenção dos alunos em videoaulas que o professor não se movimenta. Mas se você gesticula e age com mais naturalidade, acaba criando mais proximidade e passando confiança ao aluno. 

A maior maior barreira neste sentido é a vergonha. É normal sentir-se intimidado pela câmera. No entanto, fique tranquilo, essa sensação de julgamento acontece porque você não está acostumado a ver e ouvir a si mesmo. E o melhor jeito de lidar com este problema é treinando. Para isso, grave um vídeo seu como se estivesse dando a aula na escola, de maneira fluida, conversando e expondo seu conteúdo. Depois, reveja para descobrir os pontos que pode melhorar.

É fundamental também, pelo menos no início, procurar um lugar onde possa ficar só e se sinta seguro para criar suas videoaulas. Assim, com o tempo você vai se acostumando com a ideia, e logo vai se comportar como se estivesse na sala em frente à câmera. 

3 – Divida o tema da videoaula em tópicos

Em outro post com dicas para aulas remotas já falamos da importância de criar um roteiro breve, apenas com os tópicos que serão discutidos. Contudo, tem um outro jeito de usar este mecanismo a seu favor: abra seus vídeos apresentando aos alunos os mesmos itens que listou no script da aula, para que saibam o que vão aprender.

Este método é amplamente usado na comunicação como um todo, pois ajuda a pessoa saber exatamente para onde o conteúdo vai levá-la. Em outras palavras, se você disser que tem três coisas importantes para dizer em um vídeo, dificilmente o aluno vai abandonar no segundo. Ele vai querer ver até o fim para matar a curiosidade.

Não se esqueça de, ao longo da videoaula, situar cada um dos tópicos que apresentou. Sempre que estiver passando de um ponto para o outro, faça esta marcação. Isso pode acontecer tanto pela sua fala, quanto por algum recurso de edição.

4 – Traga sua aula para o momento que estamos vivendo

A pandemia do coronavírus está atingindo o mundo todo. Em todos os países que enfrentam a doença, as aulas presenciais foram interrompidas. Até mesmo nos lugares onde esta situação já passou, em algum momento as escolas foram paralisadas. Então, é natural que a pandemia e suas consequência estejam frescas na memória dos alunos.

Já abordamos anteriormente como esse contexto pode ser utilizado de forma estratégica na construção do conhecimento. O ponto que queremos ressaltar desta vez, é que o tema gera bastante curiosidade, pois ele atinge a todos. Portanto, a atenção do aluno já é garantida. Além disso, se você relaciona qualquer tipo de conhecimento ao momento atual, dificilmente ele vai se esquecer da sua videoaula. Afinal, estamos vivenciando fatos marcantes, que vão grudar na cabeça das pessoas. E no caso dos seus alunos, os acontecimentos ainda vão estar associados ao aprendizado.

5 – Fique atento ao tempo do vídeo

Quanto tempo deve ter uma videoaula? Esta é uma das dúvidas mais comuns entre os professores. Em linhas gerais funciona da seguinte maneira:

  • Para os alunos mais novos, em especial na Educação Infantil: videoaulas de até 5 minutos;
  • Para os estudantes de mais idade: videoaulas que variam entre 10 e 15 minutos; 

O mais importante quando se trata de tempo é a objetividade. Vá direto ao ponto, não enrole e não fuja do assunto principal da aula. E se mesmo assim ainda estiver com dificuldades para ser breve, divida as suas aulas. Esta é uma boa saída para não criar conteúdos muito longos e maçantes.

6 – Dica bônus: Preste atenção em alguns detalhes técnicos

Existem alguns pequenos detalhes técnicos que, se ignorados, podem tirar a atenção do aluno. São eles:

Som ruim 

Em geral, se o vídeo está com a qualidade prejudicada, as pessoas tendem a ignorar. Mas o áudio ruim não passa batido e pode desviar a atenção de alunos em videoaulas. Se o problema for os sons vazados de fora, a dica é: onde passa água, passa o som. Portanto, vede o máximo possível de frestas. Em locais com muito eco, o ideal é preencher o cômodo, em especial com coisas macias e fofas.

Cenário vazio ou bagunçado 

Não se preocupe com o que está atrás da câmera, mas sim com o que está na frente. Na medida do possível, monte um cenário. Se você grava em frente a uma parede vazia, por exemplo, preencha-a com alguns quadros. Por fim, evite deixar os objetos muito alinhados, pois qualquer desnível ficará muito claro no vídeo, criando um ponto de fuga.

Enquadramento 

Procure não gravar com a câmera apontando para cima ou muito perto de você. Prefira deixar a lente na altura dos seus olhos, tomando uma distância que deixe um respiro acima da sua cabeça e lhe dê a liberdade para gesticular dentro do quadro. 

Luz inadequada

Se for gravar durante o dia, a luz natural já funciona bastante. Basta gravar em uma janela, com a câmera ou celular voltados para dentro. Quando for gravar à noite, o mais indicado é usar um abajur, por exemplo, e rebater essa luz. Ou seja, você vai direcionar a lâmpada para a parede, que vai refletir a luz em você. 

Gostou desse conteúdo sobre dicas para atrair a atenção dos alunos em videoaulas?

Saiba mais sobre o universo da Educação, acesse outros artigos do Blog da Conquista e nossos perfis no Facebook e Instagram. Fale com nosso consultor e faça parte da solução educacional que conquistou o Brasil!


Posts Relacionados: